Translate

terça-feira, 15 de outubro de 2019

Salgueiral no Inverno, Fiães

Aqui há dias, estive a rever algumas fotos que tirei há uns dois anos e meio, nos passadiços das Ribeiras de Fiães, encontrei uma, com um salgueiral no Inverno e lá fui às Ribeiras, constatar o que aconteceu depois deste tempo volvido. A estação é outra é certo, estamos no Outono e a foto que eu tinha, havia sido tirada no Inverno, os salgueiros engrossaram, havia muito mais luz agora, folhagem, ainda que a cair e o charco esse, tinha desaparecido, charcos temporários, acumulação das chuvas  do Outono e Inverno, penso eu. Não consegui esperar até Fevereiro, como ainda faltam alguns meses, orientei-me pela fotografia que tinha e decidi recriar este local, na pintura ''Salgueiral no Inverno, Fiães''






Salgueiral no Inverno, Fiães
Ano: 2019
Acrílico sobre tela, 70 x 60 cm



A fotografia abaixo remonta a Fevereiro de 2017






''No Parque das Ribeiras do Uíma predominam os salgueirais de porte arbustivo fisionomicamente  dominado pela borrazeira-preta (Salix atrocinerea), ainda que sejam frequentes outras espécies do género Salix. Estão normalmente associados a áreas encharcadiças adjacentes a cursos de água planos e com baixa velocidade da corrente. Os solos onde se desenvolvem tem elevado teor de humidade e possuem um bom horizonte orgânico. Os salgueiros de porte arbóreos (Salix alba e Salix atrocinerea) apresentam um mosaico de árvores onde os salgueiros são mais ou menos dominantes, embora também se podem ver choupos (Populus nigra e Populus alba), carvalhos alvarinho (Quercus robur) e freixos (Fraxinus angustifolia).´´






domingo, 13 de outubro de 2019

Museu Convento dos Lóios - Sala António Joaquim

Algumas pinceladas do pintor António Joaquim, são mais do que aulas de arte, ensinam.
Duas das minhas obras preferidas expostas numa sala dedicada a este pintor feirense, no Museu dos Lóios, Santa Maria da Feira. 









Museu de Ovar


Neste sábado 12 de Outubro, inauguraram duas excelentes exposições no Museu de Ovar,  ''Reviver Macau após 20 anos'' (destaque para as vestes de noivos) e ''Pintura aguarelas'', que conta com nomes, tais como: António Pinto, Beatriz Campos, Bertha Augusta Bortes, Carlos Moura, Dórdio Gomes, Estevão Soares, Jaime Martins Barata, João de Lemos Gomes, João Hermano Batista, João Marques, João Rosa Rodrigues, Maria Flores., Querubim Lapa e Roque Gameiro.


Ambas as exposições podem ser visitadas até 30 de Novembro de 2019



Reviver Macau após 20 anos














Pintura Aguarelas











sexta-feira, 27 de setembro de 2019

Moinho abandonado, Pigeiros



Moinho abandonado, Pigeiros
Ano: 2019
Acrílico, sobre tela, 60 x 70 cm 


Nas minhas caminhadas diárias, por entre matas, caminhos pedonais e outros, vou encontrando algumas maravilhas do passado ao abandono, no percurso pedonal/trekking de Caldas de São Jorge até à freguesia de Pigeiros, há dois moinhos abandonados, este datado de 1935, de uma beleza rural, ascética, dou por mim a imaginar como teria sido viver naquela época, que histórias lá se passaram e que já caíram no esquecimento Um povo americanizado, um dia só terá histórias da Marvel para contar aos filhos e netos., espero sinceramente que as entidades responsáveis, não deixem desaparecer estes pedaços da nossa História, não são palácios, nem estádios de futebol, mas são verdadeiros monumentos aos nossos antepassados.

Há que elogiar o restauro do moinho do parque da Várzea, um pouco mais a sul, espero que os outros não caiam no esquecimento.





sábado, 21 de setembro de 2019

Penca para o Natal




A manhã de hoje, foi propicia para plantar penca, a famosa couve da consoada de Natal, com batatas e bacalhau, imprescindível numa mesa, rodeada por aqueles que nos são mais próximos. 
Recordo-me de uma altura em que olhava para o cultivo da terra de soslaio, hoje, sempre que posso lá vou aprendendo umas coisas com os meus pais, que com a sua paciência lá me vão explicando as coisas do campo e das luas certas, mais do que tradições é uma forma de sustento. 



Silêncio, no atelier de Dinis Mesquita




''Silêncio'', está de visita ao atelier do artista e amigo Dinis Mesquita, em Santa Maria da Feira, todos os meses um artista do grupo que se encontra nesta colmeia intelectual onde se discute arte e outros temas de relevante importância é convidado, desafiado, pelo amigo Dinis, a expor um trabalho que leve à reflexão ou que seja alvo de contemplação estética.
  
A minha obra 'Silêncio'', é uma reflexão sobre a impotência da vida humana em gestação, perante o poder externo de decisão sobre a mesma. Um dos fetos num grito mudo, esperando ser acolhido, o outro já livre de placenta e carregando estigmas nas mãos, ascende e retorna da luz à calma azul que impera na restante obra. 

Neste espaço de liberdade intelectual e sempre aberto, aos amigos e visitantes, há muitas obras para ver, o amigo Dinis Mesquita, apresenta obras cuja influencia, do expressionismo abstracto de Gerhard Richter é notório,mas por outro lado, também nos presenteia com a sua vertente figurativa que vai da pop art ao pós impressionismo, fica a sugestão e o convite. 

Abraço amigo Dinis Mesquita e obrigado por permitires que mostre a minha obra no teu espaço.  









segunda-feira, 16 de setembro de 2019

''Obra de uma vida'' de Germano Santos

Assisti à apresentação do livro, ''Obra de uma vida'' de Germano Santos, no Salão Nobre da Junta de freguesia de Santa Maria da Feira, livro esse que conta com fotografia, edição gráfica e design do artista Eduardo de Pinho, a ideia deste livro, vi eu florescer, crescer e tomar vida no atelier de Dinis Mesquita, também em Santa Maria da Feira, é um prazer conviver, discutir arte e outros temas com este trio de artistas e amigos, algumas vezes por semana, grupo este que se conheceu na exposição colectiva e bienal de artistas autodidactas feirenses. 

O Germano, que não me permite que o trate por você, pois é de uma jovialidade incrível ,ainda que conte com 75 Primaveras é um artista autodidacta, antigo jogador do Clube Desportivo Feirense (recordista até aos dias de hoje, 7 golos numa partida), ex bancário, dirigente associativo e autarca.

Exprime-se desde tenra idade, através da pintura, embora a tenha ocultado do público até há bem pouco tempo, este seu percurso de 60 anos, que passa pelo impressionismo, fauvismo, expressionismo, arte naif entre outras correntes, mas com um toque sempre seu, obrigado Germano, por partilhares finalmente  a tua arte.

Aquele abraço.






domingo, 15 de setembro de 2019

As feiras da Feira, a decorrer em Lourosa

As feiras da Feira, recriação histórica a decorrer este fim de semana em Lourosa, no largo da Feira dos 10, pregões, leilões, jogos tradicionais, tasquinhas, feira, teatro, recriação de antigas profissões e de figuras de populares desta cidade. 




















Com a participação da minha esposa e filha.








segunda-feira, 9 de setembro de 2019

Noite Branca, Braga 2019

Dei um ''saltinho'' à Noite Branca de Braga, este fim de semana, concertos, exposições, instalações, curtas, etc

Nos concertos, dos que vi e ouvi, a grande surpresa para mim, foram os portuenses Retimbrar, um grupo de música tradicional portuguesa.









E claro, o grande destaque Luís Represas, dos extintos Trovante, muitos braços no ar e as letras na ponta da língua.






Quanto às performances não sou a pessoa mais indicada para comentar, em relação às exposições, gostei muito da exposição ''O Surrealismo na Coleção Fundação Cupertino de Miranda'', na Casa dos Crivos e especialmente desta obra, um Cadavre-exquis de 1936, que teve a mão de André Breton, Tristan Tzara e de mais dois artistas que desconheço. 






Qual turista chinês, sempre de máquina fotográfica  em mão, actualização, smartphone, mas cada vez menos com vontade de registar momentos, não fosse para deixar algumas sugestões aqui no blogue, o jardim do Museu Nogueira da Silva, merece certamente a vossa visita. 






E sem sombra de dúvida, o ponto máximo desta maratona cultural, o  Museu Pio XII










Bom mesmo, é ter amigos de verdade e família, para partilhar estes momentos, a nossa verdadeira rede social, que não é perfeita como o mundo encantado do Facebook, ou do Instagram, mas é real.  






Até um dia Braga, foi bom rever-te.